Marketing de afiliados

O que é marketing de afiliados?

O que é marketing de afiliados?

Hoje o post vai ser bem especial! Desde que eu lancei meu e-book, muitas pessoas vêm me perguntando sobre o que é Marketing de Afiliados. Por isso, hoje eu explicar para você a definição de marketing de afiliados e também dois passos simples para se tornar um afiliado, mesmo que você seja iniciante, e começar a ganhar dinheiro na internet.

Definição

Segundo o Blog da Hotmart “Marketing de Afiliados é uma forma de relação comercial em que o Afiliado promove o produto de um empreendedor ou empresa, em troca de uma comissão por cada venda efetivada (semelhante a um representante comercial).

Esse modelo de publicidade é uma opção excepcionalmente interessante para pessoas que desejam trabalhar com vendas na internet, além de ser uma ótima forma para Produtores que desejam aumentar a divulgação dos seus produtos online.”

o que é marketing de afiliados

As Plataformas

A primeira coisa que você tem que fazer é entender como é que as plataformas funcionam, e qual é o papel dela nesse processo. As plataformas mais conhecidas e famosas do mercado são o Hotmart, Monetizze e Eduzz.

Então: escolha uma, crie uma conta de graça, dê uma olhada no mercado, conheça a plataforma e principalmente, conheça e entenda os produtos e as ofertas!

A Monetizze, por exemplo, trabalha com alguns produtos físicos, mas as outras são mais focadas em produtos digitais. Mas o que é um produto digital? Um produto digital geralmente são cursos online, vídeo aulas ou então e-books (livros digitais).

DICA: Entenda o que é a OFERTA! A oferta e o produto são coisas bem diferentes, por exemplo: A pessoa que comprar um curso de violão, ela não quer comprar um curso de violão, ela quer comprar a transformação.

Ela quer sim aprender a tocar violão, e ela quer ter a vida de alguém que sabe tocar violão, se divertindo tocando suas músicas favoritas e tocando para os amigos. Saber diferenciar isso é muito

O Tráfego

Tráfego é sem dúvidas a coisa mais importante. Afinal de contas, se ninguém ver a sua oferta ou clicar no seu link de afiliado, você não vai conseguir vender nada! Porque não vai ter NINGUÉM PARA COMPRAR.

Isso é um negócio de verdade que envolve produtos, serviços e pessoas. Quantas vezes você estava andando na rua, passou na frente de algum comercio e então decidiu entrar para comprar algo que você viu na vitrine e achou interessante? Quanto mais gente vê a sua oferta, mais você vende!

Estratégias

No marketing digital as estratégias são basicamente as fontes de tráfego, porque esse é um dos pilares deste negócio. Afinal de contas, o produto e a oferta já estão prontos, e seu trabalho como afiliado conseguir tráfego para este link. Existem dois tipos de tráfego: tráfego pago e o tráfego orgânico.

Tráfego Pago

O tráfego pago mais famoso, mais conhecido e que mais dá resultado hoje é o facebook. Lá você consegue segmentar bem o seu público e se você fizer o anúncio corretamente, os resultados são muito mais rápidos, afinal de contas, você vai estar pagando para ter o tráfego. Então quanto mais você pagar, mas alcance você tem e mais pessoas vai alcançar, porém a grande dificuldade é você gastar menos do que você ganha, por exemplo, se você vende um curso onde a comissão é 100 reais, você tem que gastar bem menos que 100 reais para você ter um lucro considerável.

Tráfego Orgânico

Outra opção é o tráfego orgânico, onde ele acontece basicamente de duas formas: Criando os sites e blogs ou fazendo vídeos no youtube (existe também tráfego orgânico no facebook, Pinterest e etc), ou seja, o tráfego orgânico significa que as pessoas vão pesquisar algo no google no youtube e aí vão encontrar o seu conteúdo!

O youtube é um exemplo bem bacana, onde você cria um conteúdo para atrair um público interessado, e com isso indica produtos. Ele acaba sendo bem mais simples para começar hoje em dia, afinal não são necessárias habilidades de por exemplo criar um site (mesmo que hoje, no próprio youtube, existam INÚMERAS vídeo aulas ensinando isso passo a passo, e vai por mim: fazer um site não é nenhum bicho de sete cabeças!).

Por isso, “aprenda a aprender”. O marketing de afiliados ainda está no início e tem espaço para todos. Porém, já comece sendo o melhor e dando o seu melhor! Se vai criar conteúdo, seja no youtube, Pinterest, blog ou site, FAÇA O MELHOR!

Quanto maior a qualidade do seu conteúdo, mais os “robôs” dos sites de pesquisas (como o google, bing e yahoo), vão gerar mais tráfego para o seu site, afinal, eles se importam com o CLIENTE deles, e o seu tráfego vai ser diretamente proporcional à experiência que você estará passando para esses clientes.

Lembre-se também que no tráfego pago, você vai ao cliente, e não ele até você! Por isso use ferramentas como o ubersuggest, onde você consegue descobrir o que as pessoas estão pesquisando, e aí criar conteúdo para atender essa demanda.

Além de um bom conteúdo, é necessário aplicar métodos de S.E.O (search engine optimization), que é a otimização para os “motores” de busca. Sendo assim, você vai precisar de estratégias de SEO On Page (dentro do seu site) e Off Page (fora do seu site).

S.E.O ON PAGE

Basicamente, o SEO ON PAGE, é o processo de otimizar o seu site dentro dele mesmo. Ou seja, você criar “links” a partir das palavras chaves que estão no seu artigo, que vão para outros artigos do seu próprio blog (ou em outros blogs), que falem mais sobre aquele assunto (ou que completem o aprendizado sobre aquilo).

S.E.O OFF PAGE

Já o SEO OFF PAGE, é você conseguir “backlinks” para o seu site! Ou seja, você precisa que outros sites apontem para o seu link, e assim os motores de busca vão entender como: “ah, olha, esse site aqui está apontando para o seu, então ele está te dando um voto de confiança, porque seu conteúdo deve ser de qualidade”.

Mas você está começando do zero, então, como conseguir esses backlinks? Então, uma das maneiras de começar a conseguir esses backlinks são a partir de sites de web 2.0, ou seja, sites gratuitos onde podemos criar nossos próprios sites. Lá você cria um conteúdo simples que aponte para um conteúdo do seu site principal (eles têm que ser do mesmo assunto).

Você também pode criar vídeos que direcionem para esse site, sendo assim, se o assunto do seu site é “doces gourmet”, você pode criar vídeos no youtube dando uma espécie de “review” sobre o curso, ou assuntos relacionados, e assim linkar para o seu site.

São inúmeras maneiras de conseguir esses backlinks, e cada vez mais que tiver sites de qualidade apontando para o seu, melhor posicionado ele ficará. Por isso use a imaginação para consegui-los! Pesquise por sites do mesmo nicho, ofereça para fazer guest posts (postagens em sites de outros, onde em troca você pode pôr o seu link naquela página e ganhar um backlink), e assim por diante!

Qual usar?

Por fim, o tráfego pago, assim que você paga o anúncio, você já consegue alcançar as pessoas. Já no tráfego orgânico, você tem que investir seu tempo, e vai colher os frutos à longo prazo! Porém eles não são inimigos! O ideal é ter estratégias de curto (tráfego pago) e médio e longo prazo (tráfego orgânico), assim você consegue monetizar de forma eficiente o seu negócio.

Escolha um nicho, um produto, uma estratégia e FAÇA ATÉ DAR CERTO! Não adianta ficar pulando de galho em galho… Se você vai focar em Instagram, Youtube, Facebook, Pintereste ou o quer for, FAÇA, poste conteúdo diariamente, agregue valor ao seu público, tenha constância e os resultados vão chegar!

98% das pessoas desistem do marketing digital no começo porque ao ver os ganhos dos big players, que estão no mercado a muito tempo, acham que vão fazer um curso e vão estar faturando o mesmo que eles em 1 mês. Marketing digital NÃO É DINHEIRO FÁCIL, muito pelo contrário! Porque como eu disse lá em cima, isso aqui é um negócio de verdade, com produtos, serviços e PESSOAS, então não pense que o dinheiro vai cair do céu, porque não vai!

Se você está começando agora e tem a condição de fazer um curso: FAÇA! Existe muito conteúdo gratuito na internet, mas estudar sem ter um direcionamento pode te atrapalhar mais do que ajudar. Fica a dica de amigo!

Existem cursos que custam menos de uma pizza grande em São Paulo, como por exemplo o Estratégia Milionária para Afiliados, onde você pode aprender um método testado e comprovado, e assim iniciar sua trilha no marketing digital com um guia! Então, só depois de ter uma fonte de renda e algo funcionando, você estuda sozinho para expandir seus horizontes e seus ganhos.

E se o marketing de afiliados não é para você, da uma olhada aqui nesse e-book onde eu ensino 4 Formas de Ganhar Dinheiro pela Internet!

 

Como calcular o preço de venda de um produto

Como calcular o preço de venda de um produto

Como calcular o preço de venda de um produto? Você já se perguntou porque um iPhone custa tão caro, e um smartphone de marcas chinesas, tão barato? Após uma análise feita pela firma TechInsights, estimou-se que o iPhone X custe por volta de US$357.50 (~R$1165) para ser fabricado, o que quando comparado a seu preço final de US$999 (~R$3257), à grosso modo dá uma margem de lucro de absurdos 64%.

A precificação traz valor imaterial para um produto e o posiciona em relação aos concorrentes, por isso o célebre empresário Simon Dolan é categórico em dizer que “basear seu preço apenas no custo do produto é inaceitável.” 

Porém, se pesquisarmos no pai Google por como calcular o preço de venda, perceberemos que a maioria dos empreendedores ainda utiliza a arcaica “formula mágica”: 

Preço de venda = Custo + Despesa + Margem de Lucro.

Mas então, o que diferencia empresas como a Apple, que consegue ter margens de lucro gigantescas, das suas concorrentes no mercado? Como ela faz para conseguir precificar seus produtos tão acima da média e ainda vender tanto?

O fato é que processos de compra não são racionais, logo, a resposta é simples: porque o cliente está disposto a pagar. E o porquê de ele estar disposto a pagar pode ser resumido em uma palavra: marketing.

Como o próprio Jobs dizia: “As pessoas não sabem o que querem até você mostrar a elas”, isso porque o desejo faz parte da natureza humana e é um dos motores que impulsionam nossas atitudes (e também o capitalismo hahaha).

Esse desejo é criado pelo branding, ou seja, de grosso modo a marca é tão “forte”, que automaticamente o nosso cérebro trabalha no automático e leva tudo que ela diz como verdade (a consistência trás autoridade e confiança).

Por isso para calcular o preço de venda de um produto da maneira certa é necessário alinhar Produto, Preço, Promoção e Praça (também conhecido como marketing mix). Nesse momento você deve estar se perguntando que p$%@ é essa, não é mesmo?

O marketing mix é um conjunto de variáveis controláveis que influenciam a forma como os consumidores respondem ao mercado, sendo assim, a harmonia entre os mesmos é proporcional ao sucesso de um produto!

Resumidamente: Produto se refere aos “bens e serviços” que uma empresa disponibiliza ao mercado, ou seja, não é apenas aquilo que está sendo vendido, mas tudo que o torna mais relevante que a concorrência.. Preço é a quantia monetária cobrada na aquisição dese produto. Promoção é a forma como você apresenta esse produto para o seu público. Praça é o canal de distribuição pelo qual você proporciona experiência ao seu cliente.

Sendo assim, para calcular o preço de venda de um produto é necessário MUITO mais do que apenas somar custos, calcular médias e aplicar percentuais. No fim, o que realmente importa é: quanto o cliente está disposto a pagar por ele.

Se você gostou desse post, deixa um comentário aí embaixo e caso tenha alguma dúvida eu vou ter todo prazer em responder! Se você é um micro ou pequeno empresário, que ainda está na idade da pedra, e não aplica marketing digital no seu negócio, clique aqui para acessar meu site e fazer um orçamento para que eu te ajude a conquistar novos clientes, beleza?

Até a próxima!